BASTIDORES 3

12 01 2010

A bola da vez é de Bruno Marques. O mídia da Mota Comunicação fala coisas sobre ele e a agência que normalmente ninguém comenta. Bom pra gente.

1 – Nome, cargo e agência?
Bruno Marques, Mídia, Mota Comunicação.

2 – Entre tantas agências na cidade, pq essa?
Já passei por algumas agências e surgiu essa oportunidade de trabalhar com o Adriano Gonçalves. Oportunidade como essa não aparece todo dia, concorda?

3 – O time de futebol daí vale alguma coisa?
Rapaz, não existe. O Felipe fala, o Giu reclama, o Diego convoca, mas no final o único jogador, craque, diga-se de passagem, sou eu! Já avisei: Com a camisa 9 eu resolvo. Rs.

4 – Em cima da sua mesa tem o que?
Um squeeze do Ceará Sporting Club que comprei ainda na Promosell com nosso grande amigo, Mario Ribeiro.

5 – Os convites que você recebe para eventos são repartidos com a criação?
Claro. Aliás. Criação e atendimento recebem. Esta semana vou até tentar conseguir entradas para o show do José Augusto para a Dona Nini, moça da copa que nos serve um delicioso café.

6 – A gente sabe que você é um cara discreto, mas entregue um podre de um colega seu.
ahahahaha. Lembro da pose futebolística do Tião (ex-mídia Promosell). Num campeonato realizado pela FIC, levei meu volante para jogar e o homem não acertava um passe! Rs.


7 – Quem chega na sua agência pela primeira vez tem qual impressão?
Na Mota ninguém sorri ou brinca. Mas é só a impressão.


8 – Confesse agora seu apelido na agência.
ahahahaha. CLARO que todo mundo já curtiu dizendo que pareço o Cara-crachá, mas me chamam de Bruno mesmo. Rsrs.


9 – Na festa de fim de ano da agência, quem foi o protagonista da bebedeira?
Felipe.


10 – Você acha que mereceu uma estrelinha brilhante pelo seu trabalho em 2009?
Acho que poderia ter sido melhor. Mas ganharei estrelinha no final de 2010. Rs.


11 – O que você fez muito na sua agência em 2009 e que não vai repetir em 2010?
Não dividi cortesias para cinema. Em 2010, prometo ser mais generoso. Até já distribui cortesias para cinema em dois momentos distintos neste ano.


12 – Você trocaria seu emprego por…
Uma vida tranquila no Havaí, na beira da praia, surfando nos finais de tarde.


13 – Pra terminar, você acha que existe alguma chance do Ceará ir pra Libertadores ano que vem?
kkkkkkkkk. Pó! Claro! Estamos estudando se será via COPA DO BRASIL (com o título) ou via BRASILEIRÃO (vaga no G4). Aliás, com o título da Copa, podemos até ficar em 5º no Brasileirão para jogarmos a Sulamericana também. Libertadores 2011, eu vou! Ehehehe.

Ta aí o Severino:

Anúncios




BASTIDORES – 2

28 12 2009

Saudações!

Hoje é um dia especial aqui pro blog. Hoje é dia de publicar um Bastidores. Pra quem ainda não sabe, essa área tem o objetivo de mostrar as agências do Ceará fora do senso comum. Usando uma linguagem divertida, o Target10 faz perguntas inusitadas sobre os bastidores das agências e o profissional, colega nosso, as responde.

Hoje então é a vez de conferir Julio Temporal.

1 – Nome, o que faz, e onde faz?

Julio Temporal, Redator da Acesso Comunicação

2 – Foi você que escolheu a agência ou foi a agência que escolheu você?

Claro que vislumbro algumas as quais gostaria de trabalhar, mas em geral o mercado funciona com indicação de alguém dentro da agência que conhece o seu trabalho. Comigo não foi diferente.

3 – Quando um novato entra na agência, qual a primeira coisa que você fala pra ele?

Vai ter que pagar um kit Bom de Vera. (Tem um Bom de Vera em frente a agência que faz a alegria da gente nessas e em outras ocasiões.) Eu paguei.

4 – Complete a frase: lugar de atendimento é…

Perto do cliente e da criação. Não dá mais pra atendimento ficar “defendendo” peças por e-mail, nem para a criação criar sem levar em conta as considerações do atendimento. Está mais do que na hora desses setores trabalharem juntos ao invés de manterem uma eterna rixa sem sentido.

5 – Quando você for dono da agência onde você trabalha, até que horas vai fazer o pessoal da criação trampar?

Criação não é uma ciência exata, não é um trabalho burocrático como os outros setores da agência. Quando eu for dono – isso significa que ganhei sozinho a Mega Sena de fim de ano –, a criação não terá hora pra entrar nem pra sair. Cumprindo a pauta dentro do prazo, cada um faz seu horário.

6 – O que existe de bizarro na salinha do almoxarifado?

Um porta-latinha no formato de uma mulher de biquíni, com mais detalhes que o necessário. E um tridente de uma possível fantasia de diabinha.

7 – O que você NÃO mudaria aí na agência?

A localização. O que seria da gente se, quando entrasse um novato, não tivesse Bom de Vera em frente?

8 – E três (só três) que mudaria.

1) Meu computador – as agências têm mania de que só os Diretores de Arte precisam de boas máquinas.

2) As paredes da criação que são todas brancas. Colocaria grafites, quadros, telas… coisas que dessem mais “vida” à sala da criação.

3) A mesa da sala de reunião por uma de sinuca.

9 – Você daria um presente de Natal pro seu dupla? O que?

Na Acesso não trabalhamos em duplas. São 8 Diretores de Arte e 3 Redatores. De qualquer forma, presentearia todos eles com uma rodada de cerveja num boteco pé sujo que toque um samba refinado ou os clássicos do brega.

10 – Na confraternização de fim de ano, qual foi o episódio que se tornou assunto no outro dia?

Que eu torci o tornozelo e agora estou 15 dias de molho em casa, deitado com o pé pra cima. Tá bom, esse não deve ter sido o grande episódio. Mas como o acidente foi no começo e eu tive que ir para o hospital, o que aconteceu depois eu não faço a menor idéia. O lema é “acontece aqui, morre aqui”. Então, eu não sei nada mesmo.

11 – Você trocaria sua agência pra trampar no Google?

Vou colar essa pergunta no Google pra ver o que ele responde.

12 – O que todo mundo não devia saber sobre a agência, mas você vai contar mesmo assim?

Eu também estou doido pra saber. Mas torci o tornozelo…

E pra quem não conhece o colega, olha a pinta:





BASTIDORES – 1

18 12 2009

Oi pessoal.

Começa hoje uma nova área do blog: o Bastidores. Esse espaço tem o objetivo de revelar coisas das agências que ninguém, fora os que lá trabalham, conhece.

Lendas das agências? Podres dos colegas? Quais os assuntos que rolam depois das 18h? Tudo isso de forma bem humorada. Resumindo, perguntas toscas, para respostas toscas e uma foto do entrevistado tosca.

O entrevistado de hoje é Mário Ribeiro, redator da Promosell.

1 – Nome, cargo e onde trampa?

Mario Ribeiro, redator da Promosell

2 – Seu emprego é exatamente do jeito que você sonhava quando tinha 9 anos de idade?

Difícil é lembrar o que eu sonhava em tão tenra idade. Sei que queria ser ginecologista, mas acho que isso foi aos 15. De qualquer forma, teve um momento que eu sonhava em ser pago pra ficar tendo idéias, sendo assim…

3 – Por que escolheu essa agência pra trampar?

Porque era em Fortaleza e eu tava doido pra voltar pra terrinha. Ah, claro, a equipe, o posicionamento, o portfólio, o salário etc… também contam.

4 – Existe alguém por aí que você queria que trabalhasse em outra agência? Ou cidade? Ou país?

Neste exato momento, não, (deve ser o clima natalino) mas confesso que já pensei nisso (Quem? Não revelaria nem sob tortura)

5 – Na sua gaveta tem o que?

Além do que apelidaram de “favelinha” (bugigangas em geral), revistas do Ceará Sporting Club, cadernos e muitas folhas A4 usadas (para um dia usar o outro lado)

6 – Toda agência tem uma lenda urbana. Qual é a da sua agência?

Aqui tem muitas. Acho que a mais absurda é que um dia seremos atingidos por uma onda gigante (nossa sede é à beira-mar), mas a principal é a de que não prospectamos clientes, não utilizamos verniz UV e vamos para casa às 6.

7 – O café da tia do café ganharia o Veja Comer & Beber?

É preciso que eu diga que sim, a tia do café é a mesma que paga meu salário. Por outro lado, quem sempre ganha esse prêmio é a Cafeteria Santa Clara, nosso cliente, portanto, também paga meu salário. Acho que estou indeciso.

8 – Quantos quilos sua agência já fez você engordar?

4 quilos (muito mal distribuídos, diga-se de passagem).

9 – Como bom colega que você é, entregue um podre de alguém da agência.

Só um? O Ivan morou no José Walter, o Mauri é gay, o Rodrigo chora, o Marco fuma feito um condenado, o André peida (mas assume) e o Bosco é Botafoguense.

10 – Você recomendaria um inimigo seu a trabalhar aí no atendimento?

Taí uma boa ideia.

11 – A sala da diretoria é mais refrigerada que a sua?

Infelizmente, não. A minha é muito fria, e olha que já estive no Alasca!

12 – Largaria a agência pra trampar de artesanato na beira da estrada? Pense bem, você ia conhecer muitos lugares e pessoas…

Se tivesse 13º …

13 – Pra acabar, o que todo mundo precisaria saber antes de começar a trampar aí?

Escrever bem, ser cordial (fazia muito tempo que eu não usava essa palavra) e, de preferência, ser torcedor do Ceará, o que convenhamos, não é muito difícil nessa cidade.





AMBEV TIRA DO AR O TESTE CEGO DA KAISER

20 11 2009

Semana passada a Kaiser lançou novamente uma campanha de teste cego. Estrelada por Humberto Martins, o objetivo da campanha era mostrar que Kaiser era tão boa quanto às outras cervejas pilsen nacionais. Um pouco mais que isso, uma leve supremacia. Veja o filme logo, antes que tirem do ar no youtube também (eheh):

Quem não gostou nada nada dessa campanha foi a Ambev. A toda poderosa cervejaria entrou com um recurso na 2ª Vara Cível do Fórum da Comarca de São Paulo e tirou a campanha do ar. Multa de R$ 10.000,00 por dia, caso o filme continue no ar. Alegação? Uso indevido das marcas da Ambev.

A Kaiser falou que vai recorrer hoje da decisão. Até porque essa sexta é o dia que será lançada a 2ª fase da campanha.

Briguinha boa essa!

Abração.